"O ROCK PRA MIM É A TERRA DO NUNCA, SOMOS POBRES GAROTOS PERDIDOS"...











quarta-feira, 10 de março de 2010

ESCOLA DANDA NUNES AONDE TUDO COMEÇOU




(DA ESQUERDA PARA DIREITA RONAM, BIRA, LUCIANA, ÍTALO, GALO E MAGRÃO)



O ano é 2000 meu irmão Ubirajara (Bira) trabalhava na escola Danda Nunes no Bairro Santa Fé, aquele bairro sempre foi presente na vida da gente, pois desde criança freqüentávamos o local por ser próximo de nosso bairro de origem a vila Margarida; no entanto fizemos amizades e meu irmão passou a namorar uma moça do bairro Santa Fé que hoje é sua esposa, a Santa Fé estava mesmo em nossos destinos.
Eu Ubiratan (kbsa) como me chamam na banda, antes de tocar com a JIRHAD já havia participado oficialmente de 2 outras bandas, e que por coincidência toquei na escola Danda Nunes em alguma dessas datas festivas de escolas; e meu irmão sempre assistia (Bira) com alguns dos futuros membros da JIRHAD, pois o Alexsander (Magrão), Valdinei (Galo), Elton (Gordo), Ronam, Ítalo e bochecha todos eram alunos do período noturno da Escola Danda Nunes.
Um dia eu estava em casa muito puto, pois havia saído da banda que eu tocava, sai porque os caras não queriam realmente nada sério estavam mais no lance de sexo e drogas do que rock an roll/música, eu estava bem desanimado e pretendia dar um tempo com a música; mas o Bira me ligou e falou: o kbsa o que você esta fazendo?!! Era um sábado à tarde e eu falei nada, pô vamos lá no ensaio eu estou tocando com uma banda lá da escola, achei estranho, pois o Bira nunca havia se interessado por música, eu pensei pôrra de novo esse negócio de banda, mas sempre foi o meu sonho, bem pensei vou dar uma olhada. Quando cheguei à escola Danda Nunes fiquei pasmo cara era surreal, kkkkk o ensaio estava rolando no pátio e tinha muita gente neste protótipo de banda à visão era no mínimo intrigante, tinham sete caras, no fundo o Alexsander (Magrão) com uma cadeira na sua frente em cima dela uma caixa, pratos de ataque pendurados em um suspensório de plantas ele havia montado uma bateria com os restos velhos de peças da fanfarra da escola, o Ronam e o bochecha com atabaques e outras peças de percussão também da fanfarra, o Bira e o Elton (Gordo) com dois vilões um bem velho com captador podre e o outro mais ou menos, Ítalo com baixo sem saber tocar direito e Valdinei (Galo) com seu teclado de sempre. As músicas eram alguns covers da época, mas uma tosquera, porém eles tinham algo que muitas bandas não têm e nunca terão feeling (magia, sentimento, alma e atitude) eu parei e olhei tudo aquilo, os olhos deles brilhavam de alegria, eu disse: como é o nome da banda? E o Bira falou é JIRHAD, nesse momento eu entendi que havia achado os caras certos para montar uma banda; peguei minha guitarra, meu cubo e minha pedaleira e passei a freqüentar os ensaios aonde estou até hoje.

Um comentário:

  1. Muito bem, Birão. Mandou excelentemente; falou com o coração, expôs de maneira plenamente acessível, com a linguagem universal. Da maneira que você gosta de fazer arte, com verdade e maior empatia possível... Poesia, sim, mas vinculada à verdade de cada um de vocês, e à simplicidade Renato Russiana, que aí sim, como você diz, está ao alcance apenas de quem tem feeling, genuíno "sentimento/rock". Como você disse, começa a Odisséia de vocês... Que tudo seja luz e glória, merecem... Guerreiros! Abraço a todos! Parabéns pelas conquistas, que abrem uma grande nova etapa de caminhada... "perseverem e triunfarão..." Dante!

    ResponderExcluir